Estresse pode agravar ou até causar hipertensão

Estar em alguma situação de perigo (ou de estresse) faz o corpo disparar uma reação conhecida como “luta ou fuga”. Nela, ocorre uma maior liberação de hormônios, como a adrenalina e o cortisol, que têm o efeito de subir a pressão arterial – e aqui mora o perigo em pessoas com hipertensão.

O objetivo do estresse é entregar mais sangue aos músculos e, assim, permitir uma resposta rápida à ameaça: partir para a porrada ou correr para um abrigo. Esse mecanismo foi primordial para a sobrevivência da nossa espécie na época das cavernas, quando havia inúmeros riscos na natureza.

“O problema é que hoje nosso organismo reage a uma briga de família ou a uma bronca do chefe de maneira similar a que se preparava para enfrentar um tigre-dentes-de-sabre”, compara a psicóloga Marilda Novaes Lipp, do Instituto de Psicologia e Controle do Stress, em São Paulo.

Trabalhar, cuidar da casa, pegar filhos na escola e enfrentar um belo trânsito no caminho: é fácil, fácil a tensão virar rotina. Hoje, 69% dos trabalhadores brasileiros se dizem estressados.